Faça as contas: 8 razões pelas quais Harry Potter é melhor do que Crepúsculo

Este texto é uma tradução de um post do blog Cinema Blend. Veja o post original aqui. Eu recomendo ler o post original, em inglês. É muito mais engraçado. E também, eu não sou nenhuma tradutora. E pequenas coisas ficaram para trás.

*Dweebs são algum tipo de nerd.

Aí vai.

Permitam-me começar dizendo que eu não me importei com o primeiro filme de Crepúsculo. Não foi arte, não teve muito a dizer, mas foi divertido em aumentar a temperatura das meninas, e eu achei que isso foi muito divertido. Meninas na mesma fileira que eu citaram falas que sabiam que iam ser recitadas na tela, elas davam risadinhas quando viam Edward, suspiraram na terrível fala “E então o leão se apaixonou pelo cordeiro”. Porém, de alguma forma, eu saí bastante entretido.

Mas então começaram as comparações com Harry Potter. A Mídia declarou em todos os lugares que Crepúsculo era o novo Harry Potter. Eu me perguntei, boquiaberto, como alguém poderia acreditar numa coisa dessas. Potter? Sério? O que eu vi na tela foi novela-lixo para a nação adolescente. Não chegou nem perto do apelo universal que tem a série Harry Potter. Mas agora estou aqui, explicando como uma alegação absurda é menos uma afirmação discutível e mais uma piada, uma piada sem graça, como Will Ferrell tentando patinar no gelo.

Então, por que Potter é melhor do que Crepúsculo? Bem, para começar, não é Crepúsculo. Quanto ao resto, sente-se. Vamos fazer os cálculos.

Christian Undertones > Christian Overtones

É mais do que sabido que a Stephanie Meyer vem de uma origem Mórmon. O mesmo vale para J.K. Rowling e suas origens cristãs. Ambas as escritores exibem suas crenças religiosas com destaque em suas obras, mas de maneiras muito diferentes. Agora vejamos. Eu estou cansado de escritores mostrando suas crenças pessoais em suas obras, mas é como eles fazem isso que importa. A série Harry Potter é repleta de temas cristãos e de alusão. Alguns acreditam que Harry Potter é uma figura de Jesus, perdido na juventude somente para retornar anos depois para lutar contra uma força do mal. Após o seu regresso, ele inicia um movimento e ganha seguidores. E seu futuro? Bem, você terá que ler os livros para descobrir isso, ou esperar até 2011. Mas no final do dia, ele não tem que representar isso. A história funciona independentemente do tema. A série Crepúsculo, por outro lado, trabalha quase exclusivamente como uma campanha para a abstinência e da maldade dos hormônios masculinos. A história trata a sexualidade como uma doença, como um vampiro. Um rapaz que é problema, porque não consegue segurar seu instinto perto de uma garota. Uma garota que não pode evitar ser atraída por esse rapaz. E mais tarde na série? Bem, mais uma vez, você só tem que esperar e ver.

Dweebs > Emos

Os fãs de Harry Potter e de Crepúsculo geralmente vêm de dois mundos muito diferentes. Potter é para dweebs. Crepúsculo é para Emos. Sim, pode-se argumentar que ambas as séries têm diversas categorias de fã que vão entre essa gama de crianças até vovós, mas isso não é divertido. Generalizar é divertido. Emos são “dark”. Eles falam em poesia ruim e prosa excessivamente descritiva. Eles são torturados pelo fato de que seus amores os deixaram de lado, sangrando e sozinhos, morrendo por mais, suspirando para conseguir um pequeno fôlego. Dweebs nunca tiveram amores, pra começar. Eles vão para os cantos mais escuros da escola, para brincar com jogos de bruxos e Dungeons e Dragons. Eles vão para aquela loja estranha no shopping que vende espadas e coisas do Senhor dos Anéis. Eles não só olham em volta, admirados pela existência de tal loja, mas realmente compram coisas. Então acho que ambos os grupos são bastante falhos. Mas pelo menos dweebs geralmente são inteligentes, certo?

Hogwarts > Forks

Não há nenhuma parte de mim que não acredite que Hogwarts exista. Como poderia não existir? Não há nenhuma maneira de Rowling ter inventado tudo aquilo sozinha. Quer seja através dos livros ou através dos filmes, o mundo de Rowling envolve você, te transporta para um universo completamente diferente. Ela criou idiomas, espécies, e uma infinidade de feitiços. Tem tanto detalhe na criação deste mundo que é difícil não se perder nele. Em contrapartida, o mundo que Meyer criou em Forks, no estado de Washington, é exatamente como a verdadeira cidade: meio chata e amena com falta de diversidade. A história de fundo de vampiros é desleixada e meio extravagante, e o pouquinho de história que vemos sobre os lobisomens em Crepúsculo é cansativa e sem imaginação. E isso é tudo. Crepúsculo é claramente menos preocupada em dar-nos um mundo em que possamos viver do que em enfiar uma história de amor entediante pelas nossas goelas.

Fairy Tales > Teen Tales

Uma das ferramentas mais importantes nas artes da literatura e cinema é a alusão. Escritores e roteiristas usam-na o tempo todo. É menos cópia e mais um reconhecimento do que veio antes, o que influenciou as palavras com que você escreve, saber de onde você veio. Você poderia pensar que uma obra como Crepúsculo faz alusões a livros ou filmes prévios que tratam de vampiros e lobisomens, mas Meyer não parece ter lido nenhuma delas, já que suas versões desses monstros raramente estão no mesmo patamar do que veio antes. Ao invés disso, eles são versões castradas desses personagens clássicos. Edward não tem dentes de vampiro, brilha no sol em vez de queimar. Ah e ele não bebe sangue humano. Ele já superou isso. Duh. Harry Potter não só faz o melhor para retribuir às histórias de fantasia que vieram antes, como também contribui para a coletânea com novos personagens e mais detalhes sobre suas origens. Eles são elfos, gigantes e centauros, tudo o que já é familiar, mas ao mesmo tempo, novinho em folha. Há algo agradável em um escritor aludindo às grandes obras. É melhor do que a alusão a 90210.

Speaking to Kids > Talking Down to Kids

Uma das coisas mais difíceis de se fazer é lidar com crianças. Educadores lutam com essa dificuldade constantemente. Se você tenta falar com crianças como se você fosse uma delas, você pode parecer condescendente, ou pior, estúpido. Isto é exatamente o que faz Crepúsculo. Parece aquele professor que você tinha na escola que falava coisas como “cara” e “tubular” e “você curte?” Este é o hi-hop do vovô. Harry Potter nunca subestima ou poupa sua audiência, muitas vezes colocando sentimentos comuns da juventude, como perda, constrangimento sobre sexualidade, e amizade na vanguarda dos seus temas. Enquanto Potter está lutando contra Aquele-Que-Não-Deve-Ser-Nomeado, ele também está lidando com relações complicadas, sofrendo devido ao ciúme e a mentira. Ainda que Potter lide com coisas que um garoto da sua idade nunca deveria lidar e provavelmente nunca lidaria, ele nunca se sente mais velho do que é. Por outro lado, os personagens de Crepúsculo estão presos em caricaturas, meros arquétipos sem nenhuma voz real ou singular.

Cedric Diggory > Edward Cullen

Quando Crepúsculo começou a ganhar uma imensa base de fãs, foi instantaneamente intitulado como o novo Harry Potter. Então, o elenco do primeiro filme foi anunciado, e surpreendentemente, o mesmo cara que desempenhou um papel bastante proeminente de um personagem em Harry Potter e o Cálice de Fogo foi nomeado para fazer o papel principal de Crepúsculo. O nome do ator, como vocês sabem, é Robert Pattinson. Em Harry Potter, ele interpreta Cedric Diggory, um carismático e honesto veterano em Hogwarts. Pattinson interpretou esse garoto exatamente como deveria ter feito, usando de sua bela aparência com limite o suficiente para fazer do personagem um personagem crível e simpático. A atuação de Pattinson em Crepúsculo é outra história completamente diferente. O cara parece estar constipado na maior parte do filme, e a sua natureza fria está mais para artificial do que real. Quem sabe? Talvez algo tenha se perdido no sotaque americano, ou talvez ele não estivesse apto para um papel de protagonista. Tudo o que eu sei é que ele interpretou um cara morto muito melhor em Harry Potter do que em Crepúsculo.

Best Buy Effects > Wal Mart Effects

Se eu pudesse, eu incluiria apenas duas palavras a esse título: caras brilhantes. Não há sequer um exemplo mais patético dos efeitos especiais de Crepúsculo do que as caras brilhantes da família Cullen. Mas falar assim esconderia os outros efeitos especiais horríveis que eles fazem. Há, claro, o efeito “velocidade da luz” quando qualquer um dos personagens vampiros voa. E pior ainda, a cena da árvore, em que Bella viaja nas costas de Edward enquanto ele voa até uma árvore em seu quintal. Sou o primeiro a admitir que a computação gráfica nos dois primeiros filmes de Harry Potter foram cômicos, mas os filmes têm evoluído muito bem. Veja Harry Potter e o Cálice de Fogo para algumas sequências incríveis durante o Torneio Tri-Bruxo, ou a batalha final de Harry Potter e a Ordem da Fênix, entre Dumbledore e Voldemort. Os filmes tomaram posse da fonte de natureza épica (os livros), enquanto Crepúsculo aparece de forma flácida, dependendo de efeitos especiais tirados da caixinha de descontos de uma loja de 1,99.

Hermione > Bella

Vamos admitir. Claro, Kristen Stewart tem seus dias, mas Emma Watson tem mais. Nós a vimos crescer de uma bruxinha esnobe e com cabelo frisado a uma bruxa de olhos bem abertos, e sim, ela ainda é um pouco mandona, mas essa não é a melhor parte? Ninguém gosta de uma garota patética que se atira para cima dos caras. Todo mundo quer um desafio. Esse é o mundo em que vivemos. Nós queremos o que não podemos ter, e Hermione está disposta a não nos deixar tê-la. Ela está disposta a jogar seus joguinhos de bruxa. O pobre Rony Weasley fica se perguntando “ela tem problema?” enquanto o pobre Edward Cullen está preso em um relacionamento do qual eu tenho certeza que ele se arrepende.

Ou seja: Harry Potter é bem escrito e Crepúsculo não. Isso com relação á história, porque o filme eu nem comento mais de tão mal feito. Só pra constar: eu leio e gosto de Crepúsculo. Mas é outra qualidade de diversão.

20.07.2009

Artigos excelentes:

Crítica literária – Crepúsculo, Lua Nova, Eclipe, Amanhecer

Fique rico imitando Stephenie Meyer

Stephen King diz que autora de “Crepúsculo” não é boa escritora

About these ads

Sobre Luiza Rey

Publicitária, rio-pretense, não come coisas verdes, tem medo de ETs e insetos. Artista frustrada (como todo publicitário), seu sonho era ser cantora. Seu segundo sonho era ser escritora, por isso escreve para este blog e tuíta no @luizarey.

Publicado em 19/07/2009, em Cinema, Livros e marcado como , , , , . Adicione o link aos favoritos. 25 Comentários.

  1. Eu ainda não li a tradução, mas sensacional hsuaUHShuAhuUAHS. Concordo.

  2. se não insistissem em comparar nem precisava perder tempo falando isso suAUHShuaSuh.. enfim, já que continuam com isso, temos q dizer a verdade… kkkkkkkk HP humilha. Não tem nda a ver uma coisa com a outra… NADA… tenho até preguiça d discutir…

  3. a tradução ficou exceleeeeeente lu

  4. pois é, preguiça né! mas outro dia falei com a irmã de um amigo meu, e ela falou que adora Crepúsculo, leu todos os livros já. Mas que odiou o filme!!! isso foi inédito pra mim, uma fã falando com razão! :D

  5. Gente. Eu não sabia que tinham pessoas tentando comparar os dois. auhuahhuahuahua que nem a lê falou – como mais propriedade por conhecer os dois – e a mim me parece o mesmo, não tem nada a ver uma coisa com a outro.
    uauahuhahua
    eu li três livros do harry e já sou tiete. ahahahahahahahaha espera até eu terminar os outros hahahaha
    enfim, lu. Mandou bem. ahahahahaha

  6. Galera, gostei do post, mas discordo em uma parte … não acho que crepúsculo seja mal escrito.

    A forma como Stephenie Meyer conduz a história é algo impressionante. As descrições de ambientes e situações é algo que me chamou atenção.

    Meyer dá profundidade ao texto. Ela consegue prender a atenção do leitor de uma forma digna de reconhecimento.

    Ela traça o perfil de cada personagem ; nos deixa ansiosos pelo capítulo que segue; acredito que seja uma ótima escritora contemporânea!

    Já li 3 livros da saga Crepúsculo e posso afirmar que a Stephenie Meyer sabe o que faz. Envolveu um romance adoslecente com vampiros e lobos; tudo isso com uma ótima e empolgante forma de escrever. Não deu erro : best-seller.

    ps.:
    Gostei do blog de vocês
    vou passsar por aqui sempre (:

    • Talvez não tenha me expressado corretamente com “mal escrito”.
      Tudo começou com as comparações. Eu acho que Crepúsculo não é digno de uma comparação com Harry Potter, por todos esses argumentos colocados no post, sejam eles sarcásticos ou não.

      “Mal escrito” não diz respeito ao texto da Stephenie Meyer, mas à qualidade da história. E eu gosto da história. Não tem como negar que ela criou uma história de sucesso. Sucesso com fórmula, mas eu recomendo Crepúsculo se você quiser uma literatura leve com um romance irresistível.

      Mas a comparação com Harry Potter não cabe. São histórias diferentes, com propósitos diferentes, estilos diferentes, mas com fãs parecidos, que se misturam em alguns momentos. E acredito que isso tenha gerado as comparações. Indevidas.

      Mas eu entendo vc, Jean.

      Bem, obrigada pela participação no blog! :)
      É mais legal quando as pessoas participam!
      Volte sempre! ;)

  7. Acho tbm q se fosse “mal-escrito”, não faria tanto sucesso (bom hsaHUShua n sei..). Mas me parece mais um folhetim moderno.

    Nada contra… eu gosto. Mas não vejo profundidade… enfim, pra diversão descompromissada, não vejo nehum mal.

  8. Isso aí Jean, uhsaSHuauhs volte sempre :]

  9. Luiza,
    Obrigado pela visita, e pelo comentário também!!!
    Que bom que gostou, e … volte sempre, por favor! (rs)

    Realmente, não dá pra comparar uma das maiores super-produções cinematográficas com uma modinha momentânea que está fazendo sucesso por causa de atores ‘bonitinhos no estilo MALHAÇÃO’ e menininhas histéricas.

    Crepúsculo é um filme legal, sim. Vou assistir as sequências, assim como todos (ou quase), mas… realmente… Harry Potter (apesar de que neste último – de acordo com comentários de terceiros, pois não li o livro – deixou a desejar) é zilhões de vezes melhor, com certeza!!!

    OBS: gostei muito do site, super parabéns!!!

  10. Concordo em gênero, número, grau e no que mais tiver.
    Penso ser extremamente ridiculo apenas que se cogite a ideia de que crepúsculo possa ser o novo Harry Potter.
    Critica muito bem feita, hehe
    ah, e obrigada por nos trazer essa tradução. ;)

  11. MUITO BOM!!
    Harry Potter é de LONGE o Melhor!!!!

    valew pela tradução!

    [ ]‘s

  12. isso aê isso aê isso aê huasHUShuaHUS… não se compara :]

  13. o Crepusculo e muito melhor eu assisti os dois o Crepusculo ganhar

  14. Agora, cá entre nós… eu nem irei entrar no mérito dessa discussão porque são coisas absurdamente diferentes… entretanto, HP humilha Crepúsculo seja no âmbito literário seja cinematográfico… na verdade, eu acho que nem sei dizer se Harry Potter é mais superior nos livros ou nos filmes… porque assim, a diferença (não só de enredo e afins) é tão grande que nem dá pra dizer que HP é melhor que Twilight… a própria comparação é uma ofensa.

  15. e eis que eu entrei, de novo, na discussão.

  16. Concordo muito com vc….
    Crepusculo é um lixo perto de HP, sem ofensa pros fãs de Crepusculo, pq sendo sincera eu tbm gosto, mas HP ti leva pra outro mundo, deixa vc entretido até o final, e sempre com aquele gostinho de quero mais que é otimo, e Lua Nova tem umas partes estranhas como, pq uma garota ia querer pular de um penhasco só pra ouvir a voz do seu amado?? — quando eu li isso, eu pensei que Meyer estivesse de brincadeira com os leitores, será que o Edward que é riquissimo não teria um celular?? E será que Bella não teria o número do celullar de Edward?? É claro q se ela ligasse ele iria ver que era a Bella e não ia atender, mas ai cairia na secretária eletronica e ela poderia ouvir a voz do seu amado…..
    Essa é a minha simples opinião (odem criticar, desde q não ofendam)
    Bjobjo *-*

    • concordo com vc, Isa!! A Bela querendo se matar é ridículo!!
      O pessoal falou “ah, mas até parece que as menininhas vão sofrer esse tipo de influência do livro!” e daí eu pegunto: já ouviu falar de Werther????
      A Meyer não é uma boa escritora, os livros tem muitas falhas, como essa que seria facilmente resolvida por um celular. Mas aí perderia o “romantismo” né? faltou muita criatividade!

  17. A Superinteressante já dizia, em 2004 hahaha e os melhores livros de HP nem tinham saído ainda! Precisamos d uma versão dessas atual hahaha

    http://super.abril.com.br/cultura/7-segredos-harry-potter-444332.shtml

  18. É, eu prefiro mesmo o Harry do que a saga.

  19. isso é pura mentira, todos sabem muito bem que isabella swan vivida por kristen stewart, é muito mais direita do que essa babaca de emihone, e também é muuuito mais bonita…

  1. Pingback: A história se repete, já dizia Marx « Biscoitos Sortidos

  2. Pingback: A história de uma geração « Biscoitos Sortidos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.403 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: