Arquivo mensal: agosto 2012

Diário de Classe: estudante de 13 anos denuncia os problemas da escola

Você teria coragem de apontar – com vídeos, fotos ou palavras – tudo aquilo que tem de errado no seu trabalho, na sua cidade, na sua escola?

Grande parte das pessoas não faria isso. Talvez até porque já estejamos um pouco acostumados com a ideia de que “não ia adiantar mesmo”. Outra razão que pouco encorajaria, é a imensa possibilidade de retaliação (contra você, sua família, seus amigos).

Mas deixando tudo de lado, foi exatamente isso que Isadora Faber, de 13 anos, fez. A garota de Santa Catarina denunciou a situação de sua escola no Facebook. Através de sua fan page, “Diário de Classe“, ela falou sobre professores, falta de professores, infraestrutura precária e todo o resto que envolve o universo das escolas públicas do nosso Brasil.

Leia o resto deste post

Espelho, espelho meu. Existe alguém mais bêbado do que eu?

Ogilvy Brazil parece estar empenhada na tarefa de aumentar a consciência do brasileiro contra o hábito de dirigir após beber. Da agência, já foram 2 ações desse tipo: a da conta que incluía gastos com hospital e o drunk valet.

Agora, eles vieram com o Drunk Mirror, um espelho que mostra reflexos com delay. A ideia é simples e genial, com uma mensagem óbvia: O álcool diminui seus reflexos. Se beber, não dirija.

A ação foi desenvolvida para a Allianz.

Jingle político e direitos autorais

Ah, a política..!

Fora julgamento de mensalões, acusações e horário político, se tem uma coisa nas eleições que volta e meia realmente me diverte são os jingles. É um melhor que o outro. E em terra de política, quem tem jingle bom é eleito! Mentira, nem precisa ser bom, mas ajuda se grudar absurdamente na cabeça.

Por isso, sem julgar o candidato em si, até porque não conheço nenhum deles, resolvi fazer um TOP 5 com alguns dos melhores, mais criativos e originais – e mais cara de pau – jingles que ouvimos por aí. Os temas são variados… tem aqueles que foram eleitos e consideram que “foi bom pro povo”, então merece o voto de novo, tem o pessoal que acreditou em mudança e que não aconteceu nada, tem filosofia de vida Disney, tem novela das 7 e tudo que você imaginar.

(Dava pra fazer TOP 5 só sertanejo/pagode, então segue aqui o compilado já prontinho no youtube. Tem Teló, João Neto & Frederico, Fernando & Sorocaba, Sorriso Maroto e mais. Muito mais.)

5. Lindolfo Pires ao som de “Beat it” (Michael Jackson)

4. Tia do Doce ao som de “Vida de Empreguete” (Penha, Cida & Rosário)

3. A dupla animada “Thalison & Tiago”: Thalison Mendes ao som de “Pokemon theme” (Pokemon) e Tiago Dionisio ao som de “Dragonball Z theme” (Dragonball Z)

2. Werley Lima ao som de “Balada Boa” (Gusttavo Lima)

*O Estúdio Praise conseguiu falar o nome do pai do cara no jingle. Palmas. “Ele é jovem, filho de Nestor”.

1. Tia Nei ao som de “Hakuna Matata” (Timão & Pumba)

(O mais interessante aqui é o quanto o vídeo é didático. Tem até a joaninha karaoke… ela deve ser, de fato, uma boa professora infantil.)

E a pergunta que não quer calar é: direito autoral pra quê né?

Mas já que falamos sobre jingles eleitorais, achei justo destacar alguns que eu realmente acho bons – grudentos, simpáticos e eficazes. Primeiro, o “Lula-lá, brilha uma estrela”. E o mais gênio de todas as eras, “Varre, varre, varre vassourinha” do Jânio Quadros.

Os clássicos não envelhecem e aquele planalto ainda tá precisando de uma faxina.

*Curiosidade do post: a música mais “parodiada” nessa eleição foi, de longe, Kuduro. #AvenidaBrasil

Links relacionados:

Para mais, clique aqui e confira o canal da Mix Produtora e as diversas “Paródias Políticas”, tem até “Sou Foda”

RIO 2016: Vídeo oficial

“Aquele abraço!” (Gostei muito dessa logo…)

Desde a abertura dos Jogos Olímpicos de Londres, há pouco mais de duas semanas, pipocaram opiniões, previsões e suposições sobre como será nossa apresentação em 2016.

A calçada do clichê.

Os clichês estarão lá, não resta dúvida. O samba e a bateria, os índios e o futebol (e provavelmente a Ivete Sangalo também. Mas né, se Londres teve as Spice Girls, por que não? Haha). Isso é fato e pudemos ter um gostinho do que virá por aí logo na cerimônia de encerramento no último domingo (12/08), onde tivemos 8 minutos só nossos – com direito ao calçadão de Copacabana.

E quer saber? Não vejo problema nisso. Eu acho que isso faz parte da nossa cultura e é algo forte, algo com o qual estamos acostumados e que, apesar da miscelânea cultural que criou nosso país, acabou incorporando-se na identidade do país. Na união de negros, índios e brancos, criou-se o carnaval. São expressões que não vieram de uma só cultura e isso é muito legal!

É claro que eu fico irritada quando um gringo acha que no Brasil é carnaval o ano inteiro, que falamos espanhol e que somos colônia do Chile. Fico puta quando acham que acordamos sambando, batemos uma bolinha depois de almoçar feijoada e terminamos a tarde tomando uma caipirinha na beira da praia. É claro que isso é ridiculamente pouco perto de um país rico culturalmente como o nosso, sem falar em preconceituoso. Mas são aspectos da nossa cultura e o legal não é negar isso, e sim agregar mais coisas a esse estereótipo.

Leia o resto deste post

Campanha de Cobertores III – RESULTADO

“We must stay together…”

Ontem Curitiba ganhou destaque no Jornal Nacional devido a agradável amplitude térmica prevista para hoje: nada mais nada menos do que belos 18 graus (mínima de 6 e máxima de 24).

A recordação do nosso tempo instável me fez lembrar que embora eu houvesse começado o post, eu nunca havia realmente postado o resultado da nossa Campanha de Cobertores III. (E me desculpo por isso!)

Pois bem, foi o nosso terceiro ano e foi também o mais bem sucedido. Há pouco mais de um mês os quase 50 cobertores arrecadados (pouco mais de 40 comprados e algumas peças doadas) foram entregues ao pessoal da ONG “A Resistência”, que tem um trabalho assistencial onde distribuem sopa de 15 em 15 dias (sextas-feiras) para moradores de rua.

(*Pra ser mais exata, no dia 12/07, os 42 cobertores comprados e os 4 doados, foram entregues ao pessoal da ONG. )

Entregues em uma quarta ou quinta, os cobertores já foram doados naquela sexta mesmo. Então, faz basicamente um mês que eu tô devendo este post, mas a gratidão, em pensamento, já vem desde a primeira doação recebida.

Todas as vezes que fazemos essa campanha a sensação de ir lá na loja, escolher o cobertor com melhor custo-benefício (que esse ano foi esse azulzinho aí embaixo) e encomendar um tanto deles, depois vê-los ocupando metade da sala por um tempo é incrivelmente gratificante.

“Together we stand, divided we fall.”

É uma satisfação sem tamanho.

Agradeço, portanto, a cada um de vocês que ajudou doando, divulgando ou mesmo se animando em doar para alguma outra campanha. Esses R$ 835,80 valem muito mais do que o dinheiro. Valem uma sensação de que fizemos alguma coisa. Uma sensação que pelo menos acalenta um pouco o peito naquelas noites em que nada é capaz de nos esquentar, mesmo em casa recheados de cobertas.

É incrível saber que estamos cercados de pessoas tão maravilhosas.

E, como diria a Coca – e tantas fontes um tanto quanto mais sábias… -, existem razões para acreditar em um mundo melhor. Afinal, “os bons são a maioria”.

Só é preciso dar às pessoas a oportunidade.

Em nome de toda a equipe do Biscoitos Sortidos, eu agradeço. Valeu, gente :)

Reabilitação para viciados em social media

Estagiários da BBH de Cingapura estão tentando lutar contra a dependência antissocial de smartphones e da alienação da cultura digital. A arma deles? Um kit de Reabilitação Social, que inclui cartões para escrever tweets à mão,  adesivos de LIKE do Facebook, quadrinhos para brincar de Draw Something, e até “Instaglasses“, óculos que permitem enxergar o mundo através de um filtro retrô colorido.

É, parece que o vício em social media está facilitando o processo de falar com as massas, mas está muito mais difícil falar com uma pessoa específica. Talvez a melhor parte da ação tenha sido seu ponto culminante na vida real, uma festa em um bar de Cingapura, onde os garçons “desbloqueavam” um desconto de 10% para cada hora em que alguém estivesse disposto a entregar seus smartphones. Quantas horas (ou minutos) você conseguiria ficar nessa festa? ;)

Fonte: AdFreak

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.403 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: