Arquivo da categoria: Publicidade

anúncios, premiações, comerciais, mercado, blá, blá e blá.

Notícia falsa brasileira inspira campanha que ganha prêmio nos EUA

Tá lá você de buenas no brainstorm quando conceito definido é:  “Se a realidade é assim, imagine nossos vídeos”. O próximo passo seria sair do genérico e encontrar essas situações absurdas que exemplifiquem essa ideia.

~Fácil~, pensa você que vê esse tipo de notícia esdrúxula na TV todo dia. Aquelas sempre marcando presença no Planeta Bizarro do G1.

Até que você encontra uma mina de ouro: um ladrão que foi assaltado enquanto realizava um assalto. “Genial!”. Não precisaria de mais nada além disso para explicar o tal conceito.

Você olha de onde veio a notícia, não entende bulhufas de português, mas a fonte serifada te passa confiança.

Mostra pro diretor de criação todo faceiro o seu novo roteiro. Vocês produzem, fazem sucesso, riem do absurdo que aconteceu no Brasil, alguém grita ~IMAGINA NA COPA~, o comercial é inscrito em uma premiação eeeeee…….. ganha.

Pois bem. Só faltou perceber que a notícia era fake. E que a fonte era o Sensacionalista.

A agência? Latinworks. 

O prêmio? Bronze no Wave Festival.

Parabéns a todos os envolvidos!

(Tô no aguardo pra ficar sabendo que essa notícia é falsa também!)

Test-drive viral: o que acontece ao apertar o botão VA VA VOOM do Novo Renault Clio?

test-drive-viral-carro-renault

No Reino Unido, clientes foram surpreendidos ao testarem o Novo Renault Clio.

O test-drive ocorre normalmente, até que o vendedor sugere ao motorista apertar a nova função “VA VA VOOM” do veículo. Quando isso acontece, o cliente é transportado para a charmosa Paris, com direito a Torre Eiffel e dançarinas de cabaret vestindo apenas lingeries. O resultado é uma experiência inesquecível para o consumidor e um excelente viral para a marca.

Leia o resto deste post

Campanha mostra como estariam hoje grandes nomes que morreram cedo

Em tempos de ressucitar os mortos em propagandas (aliás, a melhor reflexão que eu vi sobre isso é o da Eliane Brum, onde ela resume todo um argumento em uma única frase: “Na morte se tornou possível trair toda uma vida.“), o clássico de John Lennon mostra como seria a vida de famosos personagens da história que perderam a vida cedo graças ao ódio (manifestado de diversas maneiras).

No entanto, diferentemente do comercial de chocolate que trouxe de volta Audrey Hepburn, a propaganda da Anti-Defamation League não traz ideologias capazes de ofender alguém, pelo contrário (“Imagine a world without hate.“). E embora use a imagem de personagens famosos, considera um futuro bom, onde eles estariam vivos, envelhecidos e  ainda na luta. Não se aproveita da imagem de alguém para vender algo.

Confesso que o que achei mais interessante foi pensar em Anne Frank como uma escritora velhinha de cabeça branca!
E mais legal ainda é a escolha de Imagine, não só pela letra, mas porque o próprio autor foi mais uma dessas vítimas. Ele também poderia estar na tela, com uma notícia aleatória do tipo “John e Paul reúnem-se para um show único em Liverpool“.
Imagine!

Dia do Publicitário – Como você reagiria se sua filha fizesse brainstorms com outras pessoas?

dia-do-publicitario-anna-sommers

Hoje é dia 01 de fevereiro, dia do profissional de publicidade. Ana Sommers, a moleca de Itabaiana, tem uma mensagem especial para você, publicitário, que tem um monte de lampadazinha subindo por sua cabeça. Feliz dia, meu amigo!

Novo comercial de Oral-B Complete, Rodrigo Faro e o jingle da periguete que gruda que nem chiclete.

Na semana passada, a Oral-B estreou uma nova campanha para seu enxaguante bucal Oral-B Complete. O filme tem a participação de Rodrigo Faro e um jingle extramamente grudento. Você vai entender. Mas não tem problema, a música e o comercial são tão simpáticos que é até divertido cantarolar a musiquinha da periguete. Ah, e olha que legal: o ator aparece de cabeça para baixo no vídeo. Para entender, assista até o fim ou veja o making of aqui.

rodrigo-faro-oral-b-complete

Neymar, o garoto propaganda genérico, e a Corrente da Felicidade da Kibon

Lendo esse título você pode pensar: “o que uma coisa tem a ver com a outra?!”. E eu já explico a minha teoria.

Você já foi obrigado a ver muito (e quando eu digo muito, é muito) o Neymar por aí fora dos campos. Pois bem, isso tudo porque como os especialistas costumam dizer, ele é o jogador que mais agrega valores positivos num só personagem. Isso e o fato dele ter sido o eleito o jogador mais querido entre quase todas as torcidas do país.

Resumindo, ele consegue vender coisas que os outros não dão conta.

Assim, você esbarra por aí com o Neymar garoto propaganda do Guaraná Antarctica, da Panasonic, da Lupo, da Tenys Pé, da Volkswagen, do Santander, da Unilever, da Claro, da Nextel, da Clear Men e, obviamente, da Nike.

Então você já se acostumou com ele. E estava tranquilo depois da propaganda da Seara porque pensou que nada que ele fizesse poderia ser pior do que aquele vídeo horroroso dançando Single Ladies. Pois é, você estava errado.

E a Kibon veio provar isso pra você quando nos obrigou a ficar olhando pro Neymar vestido de vaca. Ou seja, ele quase consegue estragar minha vontade de tomar um Tablito.

neymar-propaganda-kibon-tablito

Sem entrar nos méritos da propaganda ser boa ou ruim, eu sempre sofro quando tenho que ver isso no freezer da Kibon.

neymar-propaganda-kibon-vaca

Pois é. Sofrendo de enorme peso na consciência por obrigar seus consumidores a passarem por essa situação constrangedora, a marca vem tentando se desculpar de diferentes maneiras. A primeira foi no Dia do Sorvete, quando distribuiu picolés em São Paulo.

kibon-dia-do-sorvete-banco-de-eventos

A segunda foi agora, quando criou uma “Corrente do Felicidade“, onde quando você ia comprar um picolé, ele já havia sido pago por um estranho. Aí a pergunta é: você pagaria pro um pro próximo estranho? 

Essa parte foi editada do vídeo, mas acho que eles realmente perguntavam isso pra incentivar o pessoal. Mas o importante é que basicamente todo mundo (menos os 3% de mal com a vida) aceitou pagar e se divertiu. Além, é claro, de ter uma experiência inesquecível com a marca.

É o bom e velho “gentileza gera gentileza“. Inspire-se!

Não só porque estamos em clima de Natal, mas eu acredito muito nisso. Então achei legal a ação. (*Falando em Natal e gentileza, vá até um Correio da sua cidade e escolha a cartinha de uma criança. O projeto é incrível, não seja parte dos 3%,  participe :).)

Mas feche os olhos e lembre um pouco das costumeiras ações da Coca-Cola. O princípio é o mesmo, compartilhar a felicidade, espalhar sorrisos.

Enquanto for assim, que se façam sempre mais correntes, né? Não sei você, mas se eu ganhasse um sorvete quando fosse comprá-lo até esqueceria da visão tenebrosa do Neymar.

 

Bazinga! Flashmob nos bastidores de The Big Bang Theory

Sabe como é né, você está lá, gravando mais um episódio de The Big Bang Theory, quando de repente começa a tocar Call Me Maybe no set. What?? É isso aí. No último dia 15, a CBS divulgou um vídeo das gravações do seriado, e o que vemos é uma intervenção dos próprios atores e da equipe de produção com uma coreografia ensaiada para o hit de Carly Rae Jepsen. O único que não fez parte da dancinha foi Sheldon =/

E ainda tem outro vídeo mostrando que a farra não parou por aí não.

Maneiras idiotas de morrer

Imagino a seguinte cena:

Briefing – Precisamos criar uma campanha de conscientização entre os usuários do metrô e motoristas. Nos últimos anos, a taxa de acidentes envolvendo trens aumentou X%! Os motoristas não respeitam a sinalização perto dos trilhos e os usuários não ligam para as questões de segurança no metrô. Outro dia, um cara morreu porque estava esperando o trem muito próximo do vão. O trem passou, o espelho pegou no cara e ele morreu.

Enquanto isso no brainstorm…

- Cara, o cara tava indo pro trabalho, tomou uma espelhada na cabeça e morreu.

- Véi, na boa, que jeito idiota de morrer!

E pronto! Assim (provavelmente) surgiu a campanha australiana Dumb Ways To Die, da McCann Melbourne. Depois, foi só alguém juntar Happy Tree Friends, fazer uma música fofa e grudenta e botar na web. Viral.

#FirstWorldProblems: do meme à realidade

Você já deve ter topado por aí com algum meme do segmento “Problemas do primeiro mundo” (o que pode ser uma releitura digital do bom e velho “pobre menino rico..“). Você pode até mesmo ter mandado algum desses para seus amigos. Ou usado a #hashtag no twitter.

Mas provavelmente não os viu sendo usados como a seguir.

Leia o resto deste post

Seguro contra a estupidez dos humanos

Ah, os humanos! Somos altamente imbecis, sempre fazendo coisas estupidamente destrutivas. Como andar em direção à porta de vidro, esguichar ketchup na pessoa ao lado e derrubar um ar condicionado da janela em cima de um carro estacionado. Esta é apenas uma amostra da nossa capacidade de estragar carros, casas e propriedades.

Pelo menos é este o argumento da seguradora Liberty em sua nova campanha. Se você não gostou, tenha paciência, errar é humano…

Fonte: AdFreak

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.403 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: