Arquivos do Blog

TED da semana: a Educação está matando a Criatividade.

Apesar de antigo (2006) este TED com Ken Robinson é muito interessante e se adapta bem às realidades do Brasil. Ele propõe, de uma forma interessante e profunda, a criação de um sistema educativo que desenvolva (em vez de minar) a criatividade.

Para a Educação, a Criatividade é tão importante quanto a Literatura. E nós deveríamos tratá-la no mesmo nível.

É aquela história né: se Picasso fosse uma criança nos dias hoje, é bem provável que sua professora de Educação Artística colocasse em sua cabeça que seus desenhos modernistas são, na verdade, tortos e feios. E não haveria Picasso.

A professora pergunta à aluna:
- O que você está desenhando?
- Estou desenhando Deus.
- Mas ninguém sabe como é Deus.
- Já vão saber num instante.

Você pode conferir o texto na íntegra neste link aqui.

Clientes matam ideias

Quem trabalha com ou estuda Publicidade sabe que ter uma ideia não é fácil. Aliás, acredito que não só na Publicidade, mas em qualquer profissão que exija criatividade, como Design, Arquitetura, e muitas outras. Pois bem. Ter uma ideia não é fácil. Requer um bom tempo de pesquisa, leitura e raciocínio. A gente tem que botar a cabeça pra pensar até ela não querer mais pensar. E mesmo assim, nem sempre sai alguma coisa.

Mas quando sai, tem sempre alguém que vai lá e mata sua ideia, mesmo que ela seja ainda apenas um bebê indefeso e não esteja completamente desenvolvida. Esse alguém é, geralmente, o cliente. Ou porque ele não gosta da cor, ou simplesmente porque ele é incapaz de entendê-la. Ele vai lá e mata sua ideia assim, a sangue frio.

Isso é tão comum na profissão, que a produtora britânica Passion Pictures criou um filme satirizando o comportamento praticamente nazista dos clientes. Cheio de humor negro, o filme pode até ser um pouco demais para alguns, afinal, eles matam criancinhas… mas de novo, não é isso que fazem com a nossa ideia? :P

Projeto Re:Brief – Google reinventa comerciais clássicos para a web

Ok, isso é algo realmente fantástico. O Google escolheu 4 dos comerciais americanos mais populares e os reinventou para a web. Para isso, os criativos do Google se reuniram com os criativos responsáveis por clássicos como Hilltop da Coca-Cola e Drive It Like You Hate It da Volvo, e, juntos, aceitaram o desafio de levar essas clássicas ideias para a Internet, uma mídia de apenas 18 anos, com a qual os criativos em questão possivelmente não trabalharam (Harvey Gaber, criativo de Hilltop, diz que só conhece a ferramenta de busca do Google, e que a utiliza quando sente dores, para pesquisar o que elas significam).

hilltop coca-cola clássico comercial

O desafio não é apenas fazer um bannerzinho replicado da campanha. Não. O desafio é aplicar essas antigas ideias para a web e toda sua interatividade. O desafio é adaptar a campanha e recriá-la na Internet. Porque, como a gente não cansa de ouvir, uma ideia boa é aquela que pode ser adaptada para todas as mídias. Não apenas replicada, mas adaptada, ou seja, que explora todas as possibilidades do meio. O desafio é esse.

Amil Gargano (criativo de Drive It Like You Hate It) é quem teve a honra de nos lembrar:

Marshall McLuhan disse que o meio é a mensagem. Eu discordo. A mensagem é a mensagem. Não importa em que meio você está, pense no conteúdo. Conteúdo é o que importa.”

O projeto conta, por enquanto, com duas execuções, a da Coca-Cola e da Volvo. Mas ainda estão por vir: We Try Harder (Avis) e I Can’t Believe I Ate The Hole Thing (Alka-Seltzer).

Abaixo, confiram os reboots e os making-ofs de cada filme. Coisa linda, gente!

-

Project Re:Brief – Introdução

Leia o resto deste post

O que pode ser mais criativo do que ser diferente?

Tire agora 10 minutinhos da sua manhã para ver este filme. Tenho certeza de que ele vai melhorar o seu dia.

É um pequeno investimento em alguém que traz uma enorme contribuição e um enorme impacto para a empresa.

The Spirit Behind Creative Spirit from Droga5 Sydney on Vimeo.

Visto no Update or Die!

Bagvertising: transforme sacolas em publicidade

Andamos com sacolas para carregar nossas tralhas de um lado para outro. Veja cinco exemplos de gente que transformou este espaço em mídia para seus produtos e ideias.


1. LG Eletronics:
e se sua roupa saísse da lavanderia dentro da máquina de lavar?

LG - Sacola para Lavanderia Leia o resto deste post

What is being creative?

Pra você, o que é ser criativo?

Esse vídeo fala um pouquinho, de forma fofa, o que é ser criativo. Fala como a criatividade não é um “dom”, de como ela pode ser encontrada em qualquer pessoa.

A criatividade pode ser algo grande. Algo pequeno.  Algo que te faz pensar. Algo que te faz sorrir. É fazer de algo belo. É contar uma história. É contar a sua história.

É perceber que nem sempre há um jeito certo ou errado de se fazer as coisas. Nem sempre há uma resposta correta. Só as respostas que nós criamos.

O vídeo termina dizendo que devemor assumir riscos. Não tenha medo de errar. Porque é só a partir dos erros, que aprendemos. E é dos erros que as coisas realmente interessantes acontecem. Pode ser que nem sempre criemos ou inventemos algo, mas sempre aprendemos ao tentar.

Na publicidade, a gente ouve muito isso. “É preciso ser criativo!”. Ir onde ninguém esteve, buscar o que ninguém sugeriu. Mas, pra mim, a definição de criatividade do vídeo é mais do que suficiente. Porque ser criativo não é só encontrar uma sacada legal pra uma peça, ou criar algo capaz de mudar o mundo. Mas capaz de mudar a rotina. Mudar nossa vida. Abrir nosso modo de pensar, aceitar que existem pensamentos diferentes. Ser criativo é aceitar e propor. É unir.

E pra você, o que é ser criativo?

Publicado por: Lê Scalia

Plantação de criativos na Inglaterra

O Sudoeste da Inglaterra produz o que há de melhor em criatividade, no país (animação, web design, design, moda, arquitetura …). O motivo? Boas condições de crescimento, espaço para respiração e muitas oportunidades na terra.

Veja, no vídeo abaixo, uma fazenda da região que produz os melhores criativos do país. E aí você vai entender melhor do que eu tô falando ;)

Patrocinando a Criatividade

Você já teve a idéia de criar um produto novo que do dia para a noite poderia se tornar a nova tendência mundial? Ou, com um pouco de modéstia, pelo menos uma tendência para determinado grupo de consumidores? Ou já teve a idéia de produzir um filme inovador, com roteiro daquele seu amigo doido e um bando de outros amigos doidos pra te ajudar? Bom, para que essas idéias realmente se tornem realidade, sem ter a tag trash adicionada, você irá precisar de dinheiro.

Mas, meu amigo, como que você arranja uma grana para tirar idéias como essas do papel?

Bom, eu tava navegando em algum lugar da internet, não lembro agora, e encontrei o site que teve a idéia de fazer outras idéias saírem do papel. Cara, e a idéia deles foi ótima!

Funciona mais ou menos assim:
- Você tem a idéia mirabolante, e acha que, com alguns milhares de dólares, consegue tirar ela do papel;
- Você se cadastra e o site anuncia sua idéia;
- As pessoas vêem sua idéia, gostam ou não. Se gostarem, podem contribuir com uma quantia em dinheiro;
- Esta quantia em dinheiro rende benefícios, como descontos na compra do produto quando for lançado, ou até mesmo o próprio produto;
- Mas o produto só é lançado se for levantado todo o dinheiro necessário. Por isso o site incentiva quem já patrocinou a falar com amigos para que eles também patrocinem.

Não sei se ficou claro, mas é como um patrocínio coletivo de idéias. Achei muito legal. Claro, existem idéias toscas e outras muito boas. Aí a escolha vai do gosto (e do bolso) de cada um.

Ah, o site é kickstarter.com

Uma idéia muito boa para patrocinar. Tanto que conseguiu muito mais do que precisava.

Uma idéia muito boa para patrocinar. Tanto que conseguiu muito mais do que precisava.

Agora você não tem mais desculpas para nem tentar produzir sua versão de um clip das Spice Girls (né, Lu?), ou de um dicionário português-catarinês. Ou alguma idéia tão criativa como essas…

Tá se sentindo criativo?

Eu não estava me sentindo muito criativo. Principalmente para escrever um post. Aí lembrei de um cara que, a cada dia do ano de 2009, fez algo criativo, tirou uma foto, criou um título para a foto e, finalmente, postou no seu perfil no behance. Show!

 

E se bananas quebrassem?

E se bananas quebrassem?

 

Bom, como eu não estou me sentindo muito criativo hoje, deixo com vocês a saga mirabolante e muito divertida de alguém que não é normal, simplesmente porque não vê o mundo como uma pessoa “normal” veria.

E já te pergunto, tá se sentindo criativo hoje?

Você quer fazer Publicidade?

Há algumas semanas, preparei uma apresentação sobre o curso e a profissão do publicitário para os alunos do 3° ano do Ensino Médio da Coopen, de São José do Rio Preto. Achei tão bacana o evento, que quero disponibilizar aqui no blog um pouco do que foi dito lá sobre Publicidade e Propaganda.

Bem, o curso é, na verdade, uma habilitação de Comunicação Social, que engloba também os cursos de Jornalismo e de Relações Públicas, entre outros, nem tão comuns. Na maioria das universidades, você pode sair graduado em duas dessas habilitações, apenas com 1 ou 2 anos a mais de estudo. Chama-se permanência.

Ainda sobre o curso de Comunicação, é importante dizer que se trata de uma ciência interdisciplinar, portanto, você vai encontrar, nas grades curriculares, disciplinas relacionadas às áreas de Psicologia, Sociologia, Filosofia e Antropologia. Às vezes, até Estatística tem.

O curso tem uma base teórica comum a todas as habilitações de Comunicação. Essa teoria é muito importante e também muito legal, se você realmente gostar da área. Mas o estudante de Publicidade normalmente está interessado no mercado e não na Academia. Por isso, vamos falar também sobre essa profissão.

O mercado de trabalho é vasto. Por exemplo, se você for para a área de Marketing, você poderá trabalhar, simplesmente, em qualquer empresa que possua um departamento de marketing. Ou um departamento de Comunicação. Mas o mais comum mesmo é Agência de Propaganda.

O funcionamento de uma Agência é tema suficiente para um outro post, por isso vou apenas citar e deixar algumas referências, ok?

Uma agência, normalmente, é dividida em algumas partes, que requerem profissionais de Publicidade (ou até de outros cursos) com competências muito diferentes. São elas: Atendimento, Criação, Mídia e Planejamento.

O Atendimento é o profissional que vai entrar em contato com o cliente (anunciante), pegar as informações básicas, saber do que ele precisa, etc., e trazer tudo isso de volta à agência. Aí então, a Criação será responsável pela produção do anúncio, ou filme, ou logomarca… o que o cliente pedir! Essa é a área que requer mais criatividade, mas nós vamos falar disso daqui a pouquinho.

Na Criação, trabalha-se em duplas de criação, formadas por um redator e um diretor de arte. É quase óbvio, não? O redator escreve e o diretor de arte leiauta (mexe naqueles programas chatos, o Photoshop, Corel Draw, Illustrator, etc).

Bem, antes e/ou ao mesmo tempo em que a Criação trabalha, temos também o Mídia e o Planejamento. Aqui a coisa complica. Em muitas agências, esses departamentos são uma coisa só: trabalham para fazer o planejamento da marca e da campanha, o que inclui pesquisa e escolha de mídia (veículos de comunicação).

É importante ficar atento também aos novos cargos que vêm sendo criados graças às famigeradas mídias sociais. Se você gostar de Web, Publicidade pode ser a sua área também.

E agora, uma observação. O diploma de Publicidade não é obrigatório para quem quer trabalhar com propaganda. Nenhum diploma é obrigatório aqui. Se você é competente, seja bem-vindo. Se você tem um diploma, isso pode ser um diferencial.

Preciso ser criativo?

Já falei sobre isso no blog, então serei breve. Sim, é preciso ser criativo. Mas a criatividade não é nenhum dom que cai do céu quando você menos espera. Criatividade é referência. E referência a gente adquire com muita leitura e trabalho!

Por último, gostaria de terminar dizendo que a Publicidade não é do Mal. Nós não ficamos o dia todo pensando em como subverter a sociedade. Nada disso. A Publicidade não pode nem convencer alguém a comprar um produto. O que nós fazemos é tentar chamar a sua atenção para determinada marca, por meio da arte e da linguagem.

A Publicidade é, na verdade, do Bem, porque, como já disse o grande Kofi Annan:

“A Publicidade é fundamental desde que eduque a população. O campo é extremamente importante para enfrentar os desafios que vêm pela frente”.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Falei correndo, eu sei. Se tiver alguma dúvida, deixe um comentário, nós sempre respondemos! ;)

Posts relacionados:

Eu sou controlado pela Publicidade?
As propagandas da propaganda
Promo x Com
Tem que ter muita criatividade, né?
Tudo o que vc queria saber sobre Publicidade… ou não. Provavelmente não!
Publicidade na Web

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.403 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: