Arquivos do Blog

Greenpeace no congresso: VETA DILMA (o Código Florestal)

Você pode ter muita coisa contra o greenpeace, dizer que eles são um bando de malucos fantasiados de turbinas eólicas, painéis solares, barris de petróleo, árvores e chaminés (sim, tudo isso literalmente – e em uma convenção do BRICS -, como você pode ver ao lado).

Mas não dá pra negar: eles são, no mínimo, dedicados.

E, por vezes, geniais.

Ok, ideia genial um monte de gente tem. Mas o diferencial é que eles são ousados e colocam a mão na massa, fazem acontecer.

Tenho a impressão de que a iniciação de um membro do greenpeace é uma passadinha na delegacia. Por quê?

Bom, dê uma olhada nos fundadores da maior ONG ambiental do mundo e tire suas próprias conclusões.

Leia o resto deste post

10 anúncios que não deram certo

Na Publicidade, não basta ser criativo. Todo o resto tem que dar certo. E às vezes, você tem que ter sorte para o seu anúncio da funerária não cair na mesma página da notícia de um acidente fatal. Sorte ou um pouco de atenção e bom senso do cara do jornal. Enfim, vamos mostrar aqui alguns desses anúncios que deram azar na hora de serem publicados/veiculados. Tipo um anúncio de oportunidade. Só que ao contrário.

piores-anúncios-yahoo-404

Leia o resto deste post

Intervenção de rua: poste vira mídia para Levis

De vez em quando nos deparamos com boas intervenções de rua. Faixas de pedestre, sinaleiras, pontes, tudo vira mídia para uma ação de guerrilha. Desta vez, um poste, na Bélgica, foi cenário para a Levis (marca de tinta, não de jeans) se divulgar:

Leia o resto deste post

Ele é “isso e aquilo”, mas eu gosto dele.

Essa é a conversa de todo mundo que tem um carro popular. O carro é feio, ou é 1.0, ou é isso, ou aquilo, mas ninguém abre mão deles, principalmente porque por pior que seja o seu carro, ele é bem melhor que um ônibus lotado, ou um ônibus vazio. Todo mundo que tem um popular tem isso bem claro. “Ah, ele me leva em todos os lugares e tal… Isso que importa. Ele anda.” – fala típica de um dono de popular.

Eu mesma tenho um Uno 1996 Prata – O Mizzuno. Morro de orgulho dele. Ganhei de presente de natal dos meus pais logo depois que eu tirei minha carteira de motorista. É claro que eu sei que ele não é bonito, que ele é 1.0, lerdo e “isso e aquilo”, mas eu sempre falo coisas como… “Ah, ele me leva em todos os lugares e tal… Isso que importa. Ele anda.”. ahahaha É inevitável. O carro é meu, pô. E isso é o que mais importa. Mas nada, absolutamente nada, me impede, e nem qualquer outro dono de carro popular, de sonhar pelos nossos carros. Um motor Flex e uma direçãozinha hidráulica, por exemplo, sem pedir muito.

Ou seja: eu amo meu carro, mas eu queria que ele fosse mais. (Mizzuno, eu te amo.). E foi pensando nisso que a Renault fez o Clio 2011, “O popular que todo popular gostaria de ser.”, o que todo dono de popular gostaria de ter.

Esse é o filme, criado pela NeogamaBBH e que está no ar desde o dia 15 de julho:

E desde a semana passada, algumas lojas de conveniência AM/PM dos postos Ipiranga das cidades de Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, Rio de Janeiro e São Paulo hospedaram essa ação:

Um Volkswagen vesido de Clio

A campanha também tem o hot site Paguei a Língua, que é bem legal, feito pela  ID/TBWA. Vale a pena ver.

Ontem mesmo eu tive o privilégio de dar uma voltinha, no banco do passageiro, em um desses. Não sei dizer se o carro é tudo o que ele é, mas eu sei, com certeza, que o meu carro gostaria muito de ser ele. Muito.

Post dedicado ao mais novo dono de um Clio 2011, Gui Sobota. E, olha… Que motorista. ahahaha

Cerveja Andes e o Teleporter

O que fazer se sua namorada liga e você está no meio do bar, tomando uma cerveja com seus amigos?

Este é o problema que a cerveja argentina Andes busca resolver com seu cheio de graça Teleporter. Espalhados por bares e baladas de Mendoza, o aparato revolucionário teletransporta seu usuário sem tirá-lo do lugar.

Simples assim: entrar na cabine acústica, escolher onde você vai dizer que está em um painel de sons ambientes (prefere estar em um engarrafamento ou cuidando de sua avó?) e inventar a melhor desculpa para sua namorada.

Não necessariamente falar com a namorada, mas sim, todo mundo já enfrentou o desafio de conversar com alguém no telefone no meio de muito barulho. Estamos todos familiarizados com esta situação, e utilizar o exemplo mais embaraçoso torna a guerrilha divertidíssima. Homens e mulheres, todos podemos entrar no Teleporter e desfrutar de seu silêncio.

Andes só esqueceu de um detalhe: para funcionar de verdade, precisamos perceber que o celular está tocando. Ou seja: argentinos, necessitamos de mais uma invenção. Mas ok, convenhamos, só a cabine já foi genial.

Ps: Vale a pena conferir no hotsite da Andes as opções de desculpas que podemos “inventar”.

Publicado por Tiago Pizzolo

Posts relacionados:
Ela só quer um pedaço do bolo
F1: Cervejaria Petrópolis domina Interlagos

Guerrilha viral…

Geralmente, uma ação de guerrilha bem feita acaba se viralizando na internet. Essa aqui é mais literal. A ação consistia em literalmente espalhar um vírus entre as pessoas para divulgar uma marca de suplementos alimentares… hahaha. Bem, só posso dizer que é bem melhor do que alguém entregando panfletos.

Fonte: Buzzófias

Publicado por Lu

Guerrilha: simples e brilhantes

via @blogcitario

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.403 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: