Arquivos do Blog

Nova turnê Madonna: Express Yourself + Born This Way

Madonna é a rainha do pop e continuará sendo por tempo indeterminado. Isso é fato e todo mundo sabe… Ela será sempre um ícone e fez mais pela música – e por que não, pelo feminismo – do que seria possível listar em um post curto.

Eis que, quando surgiu a Lady Gaga, a promessa de uma “nova Madonna” voltou com força total pela enésima vez.

Não, GaGa não é a nova Madonna. Gaga é Gaga, é uma ótima cantora que tem músicas de balada legais e que exagera na personagem. Sim, ela claramente se espelha na Madonna, pra não dizer que a copia (eventualmente).

Born this way“, inegavelmente semelhante a “Express Yourself” causou. Tanto pela letra quanto pela melodia. A ponto de dizer que nem mesmo dá pra fazer um mash-up com elas, é mais uma justaposição mesmo.

E quando acreditávamos que isso havia já ficado pra trás, depois mesmo de Madonna se pronunciar a respeito, o assunto volta à tona quando alguns áudios e vídeos do ensaio da nova turnê de Madonninha caem na net.

(Quando o áudio saiu, tinha muita gente dizendo que era fake, mas com o vídeo agora no ar eu não teria assim tanta certeza…)

Na sequência de Express Yourself, entra Born this way, tornando ainda mais clara a “semelhança” entre as duas músicas.

Aí eu pergunto: Madonna pode fazer isso?

Aí eu pergunto 2: O que é que a Lady Gaga poderia afirmar? Afinal, a música é mesmo a mesma. E até aí, é propriedade da Madonna…

She’s not me“.

Não, não é. 

Mas falando em plágio e tudo mais, será que ninguém envolvido nisso tem teto de vidro?

L.U.V. Madonna = L.O.V.E.  banana… alguém se lembra disso?!

Óbvio que nem se compara, Express Yourself marcou uma geração (e é incomparavelmente mais épica que L.U.V….) mas pra efeito de discussão, o assunto poderia ir longe.

No fim das contas, o que fica é mais uma polêmica e uma só música: Express this way ou Born yourself.

Britney Spears e toda sua decadência em “Hold It Against Me”

Hoje saiu o novo clipe da Britney Spears: Hold It Against Me.

Antes, um breve parêntese: não vou entrar nos méritos de discutir que ela está imitando a Lady Gaga. 1) porque quem acha que a Lady Gaga é original tem poucas referências da cultura pop; 2) porque a Britney veio alguns anos antes da Lady Gaga; 3) porque a Britney é (ou foi…), na verdade, grande ídolo e inspiração para Lady Gaga; 4) porque o mesmo Jonas Aukerland dirigiu Telephone (Gaga) e Hold It Against Me (Spears).

Mas nada disso é importante, porque eu não estou aqui para defender a Britney e muito menos seu novo clipe. Se ela escolheu o bizarro, beirando o brega, o problema é dela. Mas, não sei quanto a vocês, quando a vejo cantando, vejo uma artista em decadência.

Ainda que ela esteja em alta, tenha ressurgido das cinzas da fama e blá blá blá… eu sinto que ela está fazendo muito esforço para continuar com a fama de diva. E por isso, ela se submete a fazer o que simplesmente estão fazendo. A Britney, meus caros, é, há algum tempo, uma artista sem personalidade. Isso, além de triste, é o que a deixa com o estigma da decadência, como alguém que faz de tudo para não sair das capas das revistas de fofoca.

A Britney de que eu me lembro é outra. Ela até cantava melhor!

Mas e vocês, o que acharam de Hold It Against Me?

Posts relacionados:
O novo filme de Lady Gaga
E a música Pop, hein?
She’s a Lady!
Lady Gaga vs. Bjork

Músicas americanas cantadas em português

O Tiago já falou sobre a chupada que nos deu o reggaeton e sobre as várias versões acappella da Lady Gaga. Agora, eu vou falar sobre algumas versões brasileiras de músicas em inglês.

Já tivemos alguns clássicos bregacionados por cantores brasileiros, como na época (velhos tempos…) de Titanic, em que todo mundo gravava uma versão tupiniquimamente trash de My Heart Will Go On. Em 2010, muita gente se dedicou a chocar mais que Lady Gaga com as letras adaptadas de Alejandro. Foi um verdadeiro festival de quem-consegue-estragar-mais-uma-música.

A última a poluir nossos ouvidos foi Claúdia Leite, com uma versão meio que traduzida de Billionaire (Travie McCoy feat. Bruno Mars). Mas veja você que ela teve a sanidade mental de manter os trechos do rapper originais. Porque, sei lá né, tudo pode piorar!

Daí eu resolvi relembrar alguns ‘sucessos’ dessa categoria. A coisa vai longe viu. Mas vou deixá-los aqui com Zezé di Camargo e Luciano em Sufocado, versão de Drowning (Backstreet Boys),  KLB (hein?) em Um Anjo (Angels, Robbie Williams), Aviões do Forró (Umbrella, Rihanna) e claro, os reis das traduções Sandy & Junior em Em Cada Sonho (Truly, Madly, Deeply, Savage Garden).

Sabe, eu sou apaixonada pela Língua Portuguesa! Mas essas coisas que fazem por aí estragam duas grandes coisas: a poesia da Língua Portuguesa e a graça da música americana. :/

E, só por curiosidade, veja também a versão de I’m Yours (Jason Mraz) por Tomate (acho que até gostei dessa) e a versão heavy metal (em inglês mesmo) de adivinha? Alejandro!

Posts relacionados:
A chupada que nos deu o reggaeton

Lentes de contato para aumentar os olhos

Isso mesmo.  É uma lente de contato que aumenta a íris dos olhos em 1,5mm. Se dói ou faz mal, eu não sei. Só sei que está na moda no país dos olhos puxados, deixando todo mundo com cara de desenho japonês. É por isso que a lente se chama Anime Eye. E sabe o quê? É a lente que a Lady Gaga usou para ficar com aqueles olhos grandes e bizarros no clipe Bad Romance.

Você usaria?

UPDATE: Como a Eliz comentou neste post, é fato que esse tipo de lente de contato faz mal à saúde dos olhos sim. Elas podem causar danos à visão e ressecamento dos olhos. Além disso, são ilegais fora do Japão e da China. Se você gostou do assunto, pode continuar lendo aqui (inglês). Valeu, Eliz! ;)

Gaguejando acappella

Era uma vez, na Europa Antiga, igrejas italianas que queriam fazer sua cantoria. Naquela época era proibido a entrada de instrumentos musicais nestas capelas, então a “piazada” teve que se virar: surgiu o estilo musical acappella. Assim, somente com suas vozes, corais enchiam as cúpulas de papas, bispos e padres de gritaria energia. Hoje, o estilo de origem sacra saiu das capelas e caiu na boca do povo. O erudito virou popular e com isso perdeu toda sua santidade.

Senhora Lady Gaga e sua pomba gira não é o símbolo mais santo deste planeta, digamos. Por ironia, os melhores vídeos acapella que encontrei na internet são interpretações de sua música po-po-po-pop. Vale a pena conferir esta gagueira toda.

Publicado por Tiago Pizzolo

Posts relacionados:
Lady Gaga vs. Bjork
O novo filme da Lady Gaga
A Superfreak do Brasil
E a música Pop, hein?
She’s a Lady


Lady Gaga vs. Bjork

Ninguém falou ainda, mas a verdade é que a Lady Gaga nada mais é do que a Bjork da música Pop! Isso mesmo, enquanto os adornianos e apocalípticos não suportam a ideia de que alguém como a Lady Gaga possa fazer sucesso, olhe para trás e pergunte-se: ela é a primeira artista bizarra do mundo?

Não, não é. E nem preciso falar aqui da Madonna, que começou assim, chocando as famílias da década de 1980 e hoje é uma lenda da música Pop, referência para qualquer pessoa que queira ser artista um dia. Então, diz aí, qual é o seu preconceito?

Confesso que ela não me conquistou de primeira. Mas é preciso saber separar. A proposta de Gaga é fazer uma espetacularização do Pop, chocar com bizarro e o estranho, por mais que isso não faça sentido. Dentro dessa proposta, ela ainda consegue fazer músicas boas. E dizer um “oi” para a rainha da Inglaterra. É…

Mas eu não posso falar que não gosto da Bjork, se não é crítica atrás de crítica. E aí, tô errada?

Bem, na verdade, só queria desabafar. Eu também odeio sertanejo, Nx Zero, Cine, blá blá blá, mas e daí? Música, seja ela qual for, pop ou brega, também é cultura. Pode não ser a sua cultura, mas aceite o fato de que você não é ninguém para determinar o que é arte ou o que é cultura.

Nas palavras de Kurt Cobain,
Paz, Amor e Empatia.

Posts relacionados:
O novo filme da Lady Gaga
A Superfreak do Brasil
E a música Pop, hein?
She’s a Lady

Publicado por Lu

O novo filme da Lady Gaga

O novo clipe da Lady Gaga é um filme. Sério… são quase 10 minutos de vídeo, o que significa que temos menos cenas com música e mais cenas de pura atuação e diálogo. A história, escrita por Jonas Akerlund e pela própria Lady Gaga, é uma continuação do vídeo de Pararazzi, em que Gaga termina fazendo poses para sua mugshot; Telephone começa em uma prisão feminina e termina com um misterioso “To be continued”…

O filme conta também com a participação de Beyonce Knowles – nossa querida diva – e do rapper/ator Tyrese Gibson. Rolou até um comercial na televisão americana, divulgando a premiere do clipe, que aconteceu ontem às 9 horas da noite (horário do Pacífico – 2 horas da manhã no Brasil). E mais, reparem nos merchandising inseridos no clipe: latinhas da Coca-Cola na cabeça de Gaga, celular  Virgin Mobile, Polaroid, Chanel…

Telephone é a segunda música de uma parceria de mão-dupla entre Beyonce e Lady Gaga. A primeira, Videophone, foi lançada em 17 de novembro de 2009, e está na edição deluxe do álbum I Am… Sasha Fierce, da Beyonce. Não é nem de longe uma superprodução, nem de música e nem de vídeo. Já Telephone

Bem, essa música, na verdade, deveria ser uma parceria com a Britney, de quem Gaga sempre foi fã. Mas a cantora recusou a música… pode isso, gente?? E então, a parceria acabou nas mãos da Beyonce. Não perdeu nada, Gaga…

É provável que a versão original de 9min e 32seg de Telephone seja editada para uma versão menor para poder passar na TV todos os dias. Mas você não pode deixar de assistir à íntegra. Reparem na produção, na direção de arte… um estilo bem Pop Art - não tem como não lembrar de Andy Warhol e, pricipalmente, Roy Lichtenstein, ainda mais na hora das legendas e onomatopeias.

Viu? Lady Gaga também é cultura! ;)

Veja também:
Making-of de Telephone

Posts relacionados:
A Superfreak do Brasil
E a música Pop, hein?
She’s a Lady

Publicado por Lu

A Superfreak do Brasil

Há alguns dias, o Twitter me surpreendeu com os trending topics Mini Lady Gaga e Lady Gaguinha. Os dois, no entanto, se referem à mesma coisa: Laura Fontana, de apenas 8 anos de idade, cantou e dançou duas músicas da Lady Gaga no programa Qual é o Seu Talento, transmitido pelo SBT.

Bem, se não houvesse o Twitter, provavelmente ela não teria tido tanta repercussão. O Twitter é uma Espiral do Silêncio ao contrário… um único comentário sobre algo pode fazer o mundo inteiro ter conhecimento sobre esse algo. Bem, e por isso, não só o Brasil, mas o mundo, ficou conhecendo Laura Fontana, ou Baby Gaga, como foi chamada pelo blogueiro Perez Hilton. Mas ele parece ter sido o único que gostou desse freakshow.

O vídeo da garota chegou à TV americana. E aí, fizeram julgamentos. Sobre ela e sobre o Brasil. A apresentadora diz, no vídeo abaixo, que o Brasil deve ter “leis mais frouxas em relação à dança”… ok… não acho sensato permitir e incentivar que uma criança de 8 anos se humilhe como fez Laura Fontana. Mas que moral têm os americanos para nos ensinar alguma coisa?

E, como disse o outro apresentador, também lembrei de Pequena Miss Sunshine com a dança da Lady Gaguinha. É o Brasil produzindo sua própria superfreak.

Publicado por Lu

E a música Pop, hein?

Na noite de Reveillon, quando estávamos indo embora, meu pai entra no carro e me pergunta “Luiza, e a Lady Gaga?”. Pensei “Nossa!”. Bem, vi ele conversando alguns minutos com um outro cara que tava com uns papos muitos esquisitos para uma noite de reveillon, tipo, Comunismo, Estruturalismo, Marx, Che Guevara… ele estava mesmo é idolatrando o Che, dizendo que ele foi uma pessoa que lutou pelo comunismo, que ele sim era verdadeiramente marxista – informações das quais eu discordo. Mas quem será que começou a falar da Lady Gaga?

Bem, e a Lady Gaga? Perguntei “O que que tem ela?”. “Ah, ela tá fazendo sucesso né?”. “Sim, tá. Até escrevi um post sobre ela esses dias”. E daí tentei explicar rapidamente quem era a Lady Gaga. O que me levou a uma breve reflexão sobre o futuro da música Pop.

Comentei que ela agora era BFF da Madonna. “É, qualquer uma que venha agora a gente vai comparar com a Madonna”, ele disse. É verdade. Eu nem se porquê, porque não sou da geração que viu a Madonna chegar, causando polêmicas e tudo mais. Lembro de quando a Britney era BFF da Madonna… intitulada sua sucessora pela própria! Mas aí, sei lá, a garota enlouqueceu, raspou a cabeça… mas enfim, está aí, de volta!

Gaga, diferente da Britney, faz loucuras e causa polêmica deliberadamente, sabendo que está se apresentando para uma audiência. E mais, uma combinação de talento e sucesso que tem tudo para fazê-la estar entre as divas da música pop, que eu diria, hoje: Madonna, Britney e Beyonce.

Pois é, sem comentários para a Beyonce. Ela foi a primeira mulher a ganhar o prêmio de melhor compositora americana. Acho que isso foi na época das Destiny’s Child ainda (não sei qual é o prêmio… vi isso um dia no MTV+). E ah, ela dança e canta (não preciso acrescentar adjetivos, preciso?)… e é super fofa, como apontou a Demi Lovato, no dia em que a nossa diva deu espaço para a novata Taylor Swift dizer seus agradecimentos no VMA de 2009 (incidente Kanye West).

Bem, outra que eu gostaria de citar aqui, mas que provavelmente vai morrer antes de chegar ao renomado lugar das divas, é a Amy Winehouse. Suas músicas fizeram enorme sucesso no cenário Pop mundial, mas infelizmente ela não bate bem da cabeça também. Veremos… a Britney voltou às paradas. E este ano, vai lançar um novo single, na mesma data em que Christina Aguilera vai lançar seu novo disco. As velhas “inimigas” voltam a brigar. Mas eu ainda acho que Aguilera é mais talentosa.

Metamorfoses da música Pop. Outro assunto interessante. Para um próximo post, talvez.

Posts relacionados:
She’s a Lady!

Publicado por Lu

She’s a Lady!

Cinco indicações ao Grammy. Quatro vezes consecutivas entre o Top 10 de singles. Três canções consecutivas em primeiro lugar. Uma turnê mundial bem recebida. Um encontro com a rainha Elizabeth. Uma aparição no Saturday Night Live. Não se pode negar – Lady Gaga teve um ano incrível. Normalmente, estatísticas assim são restritas aos grandes nomes: Madonna, Britney, Beyonce. Mas parece que é hora de acrescentar mais um nome à lista: Gaga.

O fato é que muitos não achavam que ela ficaria no auge por muito tempo. Ela é esquisitona, anda de máscaras, de vestidos de bolhas de plástico… Gaga só apareceu no cenário pop no ano passado. E a maioria das pessoas estava esperando que ela saísse de cena logo após a estréia do hit “Just Dance”. Mas Lady Gaga surpreendeu a todos e lançou um outro sucesso. E depois outro. E depois mais um.

O surpreendente é que seu sucesso vai contra o normal. Ela não segue regras. Ela contraria a norma. Se você já viu isso antes, então Lady Gaga não está vestindo ou fazendo. Então, como ela conquistou o sucesso?

A jornalista Faith-Ann Young tem uma opinião: “Seu sucesso não se trata de meias ou perucas ou corpetes. É uma mistura de tempo, lugar, ocasião, talento, dinheiro e choque. Ela chegou num momento em que o principal cenário da música é banal e sério e as pessoas estão desesperadas para sentir algo. Não há uma Madonna, Prince ou David Bowie para rejuvenescer o pop já faz tempo. “Talvez estivesse na hora de alguém agitar a música pop um pouco. Que entre Lady Gaga.

O senso imprevisível de moda não a prejudicou. Ao mesmo tempo que sua música é cativante e que ela tem claramente talento de verdade, sua moda excêntrica é o que chega primeiro à mente das pessoas. Não dá pra simplesmente esquecer de alguém que anda num tapete vermelho com um vestido feito de bolhas. Ou de alguém que encontra a rainha da Inglaterra com um vestido de látex vermelho inspirado na própria rainha e uma máscara de glitter.


“É interessante ter um estilo de personalidade que vai além do arriscado. Ela está rompendo todos os limites e está desenvolvendo um estilo que não é comparável a muitas pessoas da cultura pop – e isso é um grande feito!” diz Susan Cernek, da Glamour Magazine.

Cernek continua: “O interessante sobre Lady Gaga é que ela é um ícone de estilo dos anos 2000. Enquanto os anos 90 foram sobre rótulos vistosos, e demonstrações de excesso sexual e financeiro, esta década é muito mais sobre a personalização e a individualidade — – e diga o que quiser sobre ela, você tem que admitir que Lady Gaga e seu estilo são únicos. “

A combinação de sucesso de uma voz estelar e os trajes de chamar a atenção foi sempre parte do plano. Lady Gaga começou com performances no Lower East Side de Manhattan, e essas raízes ainda influenciam fortemente seu desempenho e sua aparência. Young lembra de quando a viu pela primeira vez, “no Lollapalooza em 2007, Lady Gaga era uma menina morena e magra, com um sutiã de paetês prata, dançando com bravatas sob um globo de discoteca. Embora ela tivesse claramente o forte desejo de fama naquela época, o glamour e a mística pelos quais Gaga é conhecida, ainda não eram tão claros.

E apenas dois anos mais tarde, Lady Gaga está tomando o mundo com uma tempestade reluzente. Realizando todos os shows e passando por cada tapete vermelho, como se ela estivesse de volta ao clube burlesco do Lower East Side. E está funcionando. O melhor de tudo, ela não esconde sua intenção de chocar e entreter. Cernek concorda: “Ela é uma artista que está claramente se apresentando para uma audiência – e isso fica ainda mais claro em suas declarações à imprensa de que é isso mesmo que ela quer. Enquanto seus trajes podem ser descontroladamente ultrajantes, seus motivos para usá-los são bastante claros e simples”.

Mas, ornamentos e roupas estranhas à parte, a voz de Lady Gaga é sua carta na manga. Enquanto muitas de suas canções fazem uso de ferramentas eletrônicas que alteraram a sua voz, seu imenso talento inato é imediatamente aparente quando ela canta ao vivo. No início deste ano, ela foi convidada do programa Saturday Night Live e apresentou dois números. O segundo número foi Gaga tocando piano e cantando sem backing vocal ou instrumentos adicionais. Foi um momento de cair o queixo – e solidificou seu lugar como nova rainha da música pop.

Young resume o sucesso de Gaga. “Os músicos que sobrevivem a esta indústria tem que ter talento e visão de negócios para cercar-se de pessoas certas para se desenvolver. Gaga é talentosa, ela toca piano, canta e dança. Mas muitas pessoas fazem isso. A menina tem fogo dentro dela. Ela chegou a Lollapalooza com uma coragem indomável. Além disso, ela teve uma grande gravadora, Interscope, fazendo sua divulgaão por dois anos. E, por último, ela tem grandes amigos no meio artístico. Madonna tinha Maripol como sua estilista nos anos 80 para criar seu visual inovador. Gaga tem Nicola Formichetti, Matt Williams e outros. E, para publicidade, paga para que Perez Hilton seja seu melhor amigo”.

Se o visual atrapalha sua concentração no talento de Lady Gaga, apenas dê play e ouça a música.

Traduzido e adaptado de Pop Eater

Publicado por Lu

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.403 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: